26 out 2015 Por aíTeatro

Teatro: Mudança de Hábito – O musical

1

E aí neuróticos, beleza? Me sinto famosa falando isso, me deixem ser louca. Então, nesse último final de semana minha família ganhou ingressos para assistir ao musical “Mudança de Hábito” que está em cartaz no Teatro Renault, em São Paulo. Eu já havia assistido “O Rei Leão” nesse mesmo teatro e posso dizer que fiquei encantadíssima. Quando soube que era o mesmo lugar já fiquei animada, pois o teatro por si só já é lindo. Então nós conseguimos ingressos para ver de pertinho essa adaptação do filme de sucesso do mesmo nome, chamado em inglês de “Sister Act”. A protagonista do filme era nada menos do que Whoopi Goldberg! E aqui para o musical a grande estrela é a maravilhosa Karin Hills, sim, a mulher que cantava no Rouge! Aserehe ha de re…

Vou tentar resumir a peça e não dar muitos spoilers, mas a história basicamente é a seguinte: Tudo se passa em meados dos anos 70, na Philadelphia, portanto todo o figurino, músicas, cenários fazem parte dessa década, o que deixa tudo bem brilhante e empolgante a peça inteira. Deloris é uma cantora que busca pela fama e sucesso, mas se apresenta em pequenos locais. Ela é basicamente amante de um cara da máfia e ao cansar dessa vida e tentar ir embora, ela acaba presenciando um assassinato. Ela foge para e polícia e eles tentam encontrar um local para que ela possa se esconder enquanto o chefe da máfia não é julgado, pois ela seria a única testemunha viva que poderia colocar ele por trás das grades.

Continue lendo

escrito com amor e carinho por

07 out 2015 DesignFreelancerPessoal

10 lições que aprendi sendo freelancer

Desneurando
Ano passado, depois de ser demitida de uma empresa que gostaria nunca ter trabalhado por não valorizarem (para variar) minha função de Web Designer, resolvi que iria virar freelancer. TODAS as minhas experiências de estágio à emprego CLT foram traumatizantes: Desvalorização, alta carga de trabalho, você sempre será o culpado, salário muito baixo, falta de plano de carreira e entre diversas outras questões que nem deveriam entrar por aqui. Pensei muito e cheguei à conclusão de que o salário que me matava para acordar 5h da manhã, pegar condução lotada, chegar e estar lotada de trabalho, pressão para terminar tudo pra “ontem”, entre outras coisas, eu poderia ganhar no conforto da minha casa e com muito menos stress. Agora já faz um ano que trabalho oficialmente como freelancer em tempo integral, e quero compartilhar com vocês 10 lições que aprendi sendo freelancer em home-office.

1. A maioria das pessoas acham que você não trabalha ou ganha dinheiro fácil
A realidade é dura para diversos empregos, não são todos que possuem a oportunidade de poder trabalhar no conforto de sua casa. E por isso mesmo as pessoas, principalmente as mais velhas, não entendem que você trabalhar em casa realmente seja TRABALHAR em casa. Muitos acham que você faz uma coisinha aqui e ali e ganha um dinheirinho. Outros acham que você vive às custas dos seus pais e te aconselham a “procurar um emprego de verdade”. Eu trabalho em casa, acordo 10h e ganho mais dinheiro que vocês #AceitaQueDóiMenos rs

2. No começo pode ser difícil ganhar dinheiro
Ser freelancer é você ser rico e pobre ao mesmo tempo. Teve meses que ganhei o triplo do que ganhava em agência e teve meses que não ganhei nada. Isso mesmo, NADA. É necessário ser bom de conta e guardar o dinheiro para caso você passe por algum mês que não consiga fechar nenhum freela. Precisa ser organizado financeiramente e essa é a única questão que eu odeio trabalhar como freelancer, essa falta de estabilidade financeira. Ainda estou progredindo e melhorando para fechar trabalhos mensais.

3. Organização de tempo é fundamental
Não entendia porque a maioria das empresas bloqueavam um monte de sites e não viam com bons olhos mexer no whatsapp. A questão é que essas coisas acabam te distraindo e o que poderia ser feito em uma hora acaba sendo feito em duas, três… Trabalhar em casa significa que ninguém te vigia e por isso mesmo você precisa controlar o seu horário de trabalho, as tarefas do dia, problemas que podem surgir do nada, tempo para descanso também, claro.

4. Sua qualidade de vida aumenta muito
Estar no escritório de seg. a sex., das 9h às 18h, não é algo mais que entra na minha mente. Eu acordo 10h, faço minhas coisas, depois começo a trabalhar. Fico o dia inteiro no whatsapp, escutando música ou vendo vídeos no Youtube ao mesmo tempo que trabalho. Quando sinto que o freela não tá rolando eu paro, assisto algo no Netflix, descanso. Sexta-feira não existe mais trabalho, é o dia que saio com meu namorado e isso não tem preço.

Continue lendo

escrito com amor e carinho por

29 set 2015 Crítica

Tree Change Dolls e a beleza natural

13

Você já parou para analisar como são as bonecas feitas para as crianças? Super maquiadas, com cabelo liso, bocas enormes, corpo magro, peitão, bundão. Roupas da última moda, super caras e com sapatos com plataformas enormes, sem contar nos acessórios: brilhos, bolsas caras, celulares, óculos e até mini cartões de crédito.

Uma mãe australiana ficou preocupada com a quantidade absurda de informações que são vistas nessas bonecas e por possuir uma filha pequena, ela decidiu que sua filha não iria mais brincar com isso. Mas como negar algo para uma criança, enquanto todas as outras possuem e somente ela não? Então Sonia Singh, a mãe, tentou algo diferente.

Ela pegou uma acetona e passou pelo rosto de uma boneca Bratz. Percebeu que saía toda a maquiagem e que por trás existia todo um rosto pronto para ser refeito. Pintou um novo rosto por cima da boneca. Começou a tirar as roupas e plataformas e começou a costurar e tricotar roupas. Tirou os longos apliques e cabelos enormes e colocou pequenos cabelos iguais de criança e o resultado é, sem dúvida, de tirar o fôlego!

Continue lendo

escrito com amor e carinho por