Categoria: Pessoal

18 maio 2017 ConselhosDesabafoPessoal

Afinal, o que aconteceu?

Afinal, o que aconteceu? - http://desneurando.com.br

Eu sumi. Mas dessa vez por meses a fio. Não tive nenhum contato no mundo blogueiro e quis muito sumir de tudo, parar um pouco para me reorganizar. Mas afinal, o que aconteceu?

Bom, foram muitas coisas ao mesmo tempo. Eu estava em um emprego no Terceiro Setor, que parecia ser um sonho, poder usar minha graduação para fazer o bem para as pessoas. Acontece que acabou sendo um dos piores empregos que já tive e passei por muitas barras nele. Eu precisava sair de lá, já estava em um limite físico, mental e emocional. Não quero entrar em detalhes, mas posso escrever que jamais sairia de uma empresa se coisas graves não acontecessem e o que aconteceu lá me destruiu, mas prefiro deixar quieto e saber que um dia eles mesmos vão se destruir. Desde o começo do ano eu estava procurando um novo lugar e consegui! Agora eu sou Web Designer em uma megastore e estou muito bem lá, ainda estou em experiência, mas espero ficar lá por muitos anos. Tenho me estressado bem menos, a qualidade de vida é melhor, o salário é maior e tenho alguns privilégios: tenho desconto em toda a loja, ganho vários livros e até ganhei um sorteio interno para uma entrevista com a JoJo Moyes, autora do livro “Como eu era antes de você” (foi incrível)! Além de ter acompanhado o bate-papo, ganhei um livro autografado por ela, o Paris para Um e uma foto com a JoJo! Então sim, esse foi um dos motivos de eu estar afastada, eu precisava me realocar profissionalmente e estava bem abalada com o que tinha acontecido na outra empresa, além de precisar pegar o ritmo da nova porque gente trabalhar em e-commerce não é fácil!

O grande outro motivo do meu sumiço é um pouco mais triste: ano passado minha avó materna descobriu que estava com câncer de mama. Foi um baque muito grande em toda a família, além de um certo momento de revolta, porque ela descobriu o câncer já em fase terminal, havia pelo menos 10 anos que ela tinha essa doença maldita e ninguém sabia. Eu fiquei bem chateada e triste, afinal faço parte das pessoas que foram criados pelos avós enquanto os pais trabalhavam e saber que ela poderia ir embora a qualquer momento era estressante e me deixava machucada. No fim do mês passado ela contraiu uma pneumonia, ficou internada no hospital e depois de duas semanas ela se foi. Para mim foi um dos lutos mais terríveis que já tive que passar, até hoje ainda fico sentida, mas como sou cristã me pego na fé e na certeza de que ela foi para um lugar bem melhor que o nosso. Foi muito bom ter o meu namorado do meu lado, me ajudando nesses momentos difíceis.

Mas e agora, o que vai ser do blog daqui para frente? Eu espero voltar a postar semanalmente, espero não precisar ficar mais meses sem postar por estar passando por momentos difíceis. Mas gostaria de deixar uma lição: eu tenho me fortalecido muito nesse período e talvez se não tivesse passado por esses problemas eu jamais cresceria. Foram meses de tristeza e dor, mas posso dizer que hoje sou uma pessoa bem melhor. E vida que segue!

escrito com amor e carinho por

05 jan 2017 Data EspecialPessoal

O que esperar de 2017

O que esperar de 2017 - http://desneurando.com.br

Imagem: Tumblr

Não sei nem por onde começar. 2016 foi um ano tãaao intenso que é difícil conseguir resumir esse turbilhão de emoções que nós vivemos. Digo nós porque sei que independente de quem você seja você sabe que foi um ano inesquecível, tanto pelo lado bom como pelo lado ruim. Vai ser um ano marcado na história por vários motivos e realmente um ciclo finalmente se encerrou.

Eu sei que muitos podem discordar, mas para mim 2016 foi um ano muito bom. Sim, eu sei que para a população, especialmente o Brasil, foi um ano bem duro. Mudanças políticas, notícias absurdas, tragédias, desemprego, tudo caro, pessoas passando dificuldade. Eu vivi tudo isso também, não se enganem. Minha família foi atingida pela crise, meus amigos não conseguem emprego, o dinheiro tá cada vez mais difícil e apertado. Mas como eu escrevi no post do ano passado: não é o tempo que muda, mas sim você e as coisas ao seu redor! Eu decidi que esse ano independente do que acontecesse eu iria crescer, iria conquistar coisas e teria momentos inesquecíveis. Eu lutei bastante, mas consegui ter um ano muito bom apesar dos apesares.

Logo no começo do ano eu me libertei de algo que me prendia: cortei meu cabelo que batia na cintura e deixei ele acima da nuca. Foi tão libertador que fiz um post especial contando sobre tudo o que aconteceu. E então eu fiz 24 anos e não foi nada fácil entender e aceitar que tudo o que eu tinha planejado com essa idade eu não tinha alcançado. Eu estava em casa, desempregada, meio depressiva, completamente sem rumo. Muitas coisas passavam na minha cabeça e parecia que eu não tinha motivação para nada. O começo do ano foi mesmo uma fase bem difícil na área pessoal e profissional. Mesmo assim tentei olhar o lado positivo e escrever sobre 24 coisas que aprendi com 24 anos e tentar aconselhar vocês leitores com o pouco que sei sobre a vida.

Então meu namorado foi seguir um sonho dele e por falta de emprego aqui conseguiu um trabalho voluntário e ficou 3 meses morando nos Estados Unidos e trabalhando. Foi uma fase bem pesada também, a gente passou o Dia dos Namorados e nosso niver de namoro um longe de outro e como eu já estava bem abatida, fiquei mais ainda com tudo o que estava acontecendo. Mas acontece que de julho para cá minha vida deu uma reviravolta muito grande, quase como se fosse uma novela mexicana e tudo mudou para melhor. Meu namorado voltou e nós vivemos super bem, nosso relacionamento melhorou mais ainda e percebemos que queremos casar assim que possível. Eu consegui emprego fora de casa e foi muito libertador poder sair da rotina do dia-a-dia e também poder fazer uma comparação sobre meus pontos de vista de como é trabalhar fora x trabalhar em casa quando eu era freelancer e depois como era trabalhar fora x trabalhar em casa 2 quando voltei a trabalhar em uma empresa.

Depois que comecei a trabalhar eu tive mais grana, consegui pagar uma pequena dívida que tinha no cartão, consegui comprar muuuita coisa que eu precisava fazia muito tempo e que desempregada e com meus pais numa situação difícil eu jamais teria. Bens materiais não são essenciais para a nossa vida, mas de vez em quando comprar algo que você queria te dá uma sensação muito boa também. Com grana eu consegui dar muitos presentes e ir ao cinema quase toda semana, praticamente um sonho que tinha há anos. Talvez isso explique porque quase toda semana tem várias resenhas de filmes aqui, né? Realmente o blog ficou muito focado em filmes e séries e eu não me arrependo porque escrevo sobre aquilo que estou vivendo, e passei 2016 assistindo muitas coisas.

Mas esse ano fiz um plano muito legal e em breve irão ter novos posts aqui, com assuntos mais diferentes e que possam atrair não só quem ama filmes e séries, mas também quem gosta de cultura, lazer, ilustração, fotografia e muito mais. Como eu escrevi, tive vários problemas em 2016. Mas apesar de tudo eu consegui focar nas coisas boas e sair dele com uma sensação muito boa. Você não conseguiu? Que tal focar para que esse ano, independente do que aconteça, seja um ano inesquecível para você?

escrito com amor e carinho por

08 jul 2016 DesignFreelancerPessoal

Trabalhar fora x Trabalhar em casa 2

Imagem: Tumblr

Imagem: PicJumbo

Há quase um mês atrás eu consegui uma vaga dos sonhos e sou Web Designer em uma Fundação Infanto-juvenil que é super legal e luta por boas causas. Porém decidi reabrir o debate sobre qual é o melhor estilo de trabalho depois de perceber algumas coisinhas. Para quem não sabe, ano passado fiz um post no blog quando eu era freelancer integral e trabalhava estilo home-office. Agora que voltei a ser CLT, posso dar um ponto de vista melhor para ambos os lados:

1. Muitos Benefícios x Se vira
Se você conseguir entrar em uma empresa de médio a grande porte com certeza irá receber benefícios junto com seu salário. Eu estou apaixonada pelos meus benefícios que vão de vale refeição, vale alimentação, vale transporte, assistência médica e diversas empresas que dão descontos para os colaboradores da empresa, como faculdades, escolas, auto escolas, escolas de inglês, academias e afins. Nessa parte sem dúvida ser CLT compensa muito mais do que ser freelancer, pois estava preocupada de não ter plano de saúde e gastava um bom dinheiro com alimentação e transporte, tudo do meu bolso, o que diminuía ainda mais o valor final que eu ganhava.

2. Morar no trabalho x Trabalhar longe
Acho que única coisa ruim que tenho para reclamar da empresa até agora é que ela é muito longe da minha casa. Eu entro 9h e preciso acordar às 6h para dar tempo de sair, pegar um busão loongo, do ponto do terminal até o ponto final e andar mais 20min a pé para chegar no trabalho. Na volta a mesma coisa e percebo que isso tem sido bastante cansativo, eu chego em casa e já quero dormir, de tão pesada que é a rotina de quase 4h de busão ida e volta. Sem contar que tenho labirintite e por isso fico dependente do Dramin para não passar mal no busão, então obviamente trabalhar em casa é muito melhor nesse sentido, você não fica dependendo de transporte público ou trânsito para chegar.

3. Salário bom x Dinheiro pingado
Saber que todo mês você irá receber a mesma quantia dá uma boa segurança, você consegue planejar uma vida, guardar dinheiro, investir e até mesmo comprar algumas coisas que você tanto queria. O CLT também é melhor nesse sentido, porque como freelancer sofri muito porque nunca sabia quanto iria ganhar naquele mês e consequentemente não conseguia planejar nada ou comprar algo que já poderia comprometer todo o meu orçamento. Mesmo que o pior aconteça e você seja demitido você ainda ganha um valor pela demissão e tenta um seguro desemprego enquanto procura um novo. Como freelancer você praticamente vive cada dia de uma vez, sem certeza de nada, muitos clientes somem sem nem dar uma satisfação e você precisa de muitos desdobramentos para fechar o orçamento sem dever nada.

4. Tempo para diversão x Viagem no espaço
Uma coisa muito louca que anda acontecendo é que parece aquele filme Interstelar, os dias passam muito rápido e eu não sinto. Eu chego na empresa e quando vejo já deu a hora do almoço, depois volto e já deu a hora de ir embora! Isso é muito louco, porque parece que o tempo passa muito mais rápido, mas ao mesmo tempo eu também fico com a sensação de que os dias estão passando e eu não tenho feito praticamente nada para melhorar, para me divertir ou algo assim. Parece que a gente vive no automático de segunda a sexta e sobre o final de semana para você fazer tudo aquilo o que queria, o que nem sempre dá tempo…

Continue lendo

escrito com amor e carinho por

17 mar 2016 DesabafoDesneurandoPessoal

O dia em que cortei tudo

dsz

Resolvi mudar. Talvez essa seja a frase que pode resumir bem o que queria quando resolvi cortar um cabelo que batia na minha bunda em um corte quase chanel. Vou começar do começo! Desde pequena minha mãe, por alguma razão desconhecida, sempre deixou meu cabelo bem curtinho. Curtinho mesmo, chegavam a passar máquina na parte de trás do meu cabelo para “fazer pézinho”. depois de anos com o cabelo sempre curto, chanel, com 13 anos resolvi que não iria mais ter o cabelo curto. E assim fiquei com o cabelo na altura dos ombros até cabelo bem grande até meus 20 anos. Nessa idade resolvi fazer uma mudança radical e ficar loira. Eu, sempre morena, queria experimentar algo novo. Mas então aquele trauma que todas desejam de verdade não passar aconteceu: o salão detonou meu cabelo, cortou mega curto com a desculpa de que era melhor, deixou um loiro horrível e me deixou mega traumatizada. Meu cabelo ficou horrível, eu vivia escrava da chapinha e para piorar meu cabelo era uma palha sem fim, por ter ficado loiro. Depois desse episódio tomei uma decisão drástica: Cabelo curto e loiro nunca mais!

Continue lendo

escrito com amor e carinho por

17 fev 2016 DesabafoDesneurandoPessoal

Até onde a sua opinião tem importância?

fd

Esse vai ser um graaaande desabafo. Da última semana para cá muitas pessoas resolveram falar suas opiniões sobre minha vida. Assim, do nada. Assim, sem eu pedir. Deram opiniões sobre meu trabalho, meu estilo de vida, o que eu como, o que eu faço, o que eu visto, como me comporto e, o que me deixou uma fera, o meu namoro. Como diz a sábia poetisa MC Melody: falem bem ou falem mal, mas falem de mim. Eu não tenho culpa se você não é feliz!

O que me deixou bem irritada foi que além de darem suas “importantes” opiniões sobre minha vida, as pessoas simplesmente deram esperando que eu mudasse. Algo tipo: estou te avisando, então mude. Gostaria de deixar bem claro que não sou uma pessoa que não aceita críticas, muito pelo contrário, eu realmente escuto e tento mudar. Mas tenho percebido que estamos vivendo em uma época onde não existe mais discussão de lados, as pessoas não aceitam nada além da caixinha. Elas acreditam que a vida tem que ser assim, então se você não tem uma vida assim, significa que você está errado.

Continue lendo

escrito com amor e carinho por

05 jan 2016 Data EspecialDesneurandoPessoal

O que esperar de 2016

4
O que esperar desse ano que mal chegou e já considero pacas? É um alívio poder afirmar que finalmente 2015 acabou. Eu não sei quanto à você, mas 2015 foi uma montanha-russa de emoções na minha vida. Coisas muito boas e ao mesmo tempo que coisas muito ruins aconteceram, mas infelizmente as ruins conseguiram estragar meu ano. Eu finalmente completei minha faculdade, onde tinha uma DP que faltava para me formar. Fiz a capa de um livro incrível, sobre a trejtória de uma mulher cega e suas dificuldades que foram superadas até ela virar uma grande juíza. O livro foi super elogiado por todos e acabou sendo meu primeiro grande trabalho como freelancer (fora ele tinha feito pequenos freelas, mas nada tão grande assim). Continuei firme no meu namoro, sem brigas, sem problemas, parecia um sonho sem fim rs. Ganhei um computador all-in-one novo, conquistei muitas coisas nesse ano. Porém…

Fui roubada, levaram meu iPhone 4s que tinha acabado de terminar de pagar. Tive que comprar outro e fiquei numa dívida ferrada. Não consegui um emprego bom, por conta de toda essa crise, virei freelancer por falta de opção e por mais que tenha sido bom em alguns aspectos eu engordei demais, fiquei me sentindo muito sozinha sem poder falar com ninguém, isolada. Sem contar que o dinheiro que ganho como freelancer não dá para me sustentar nem em uma kitnet. Graças a Deus não tive nenhum problema de saúde grave, porém tive que fazer alguns exames e sem plano médico isso custou muito caro. Vai parecer zoeira, mas meu cabelo começou a dar nós que parecia que eu não penteava há anos! Foi terrível para tirar e algumas partes tive que cortar (detalhe que meu cabelo bate quase na minha cintura rs). Tentei ficar ruiva e fui destratada por um cabeleireiro, perdi algumas amizades, fiquei muito chorona e depressiva.

E pra fechar com chave de ouro o site ficou fora do ar 2 vezes, por um serviço de hospedagem péssimo que não recomendo a ninguém, porém não possuo outro serviço que atenda domínio .com.br com o valor mais barato (se você souber me avise). Foram diversas dores de cabeça com clientes e “donos” de empresas que se acham donos do mundo, deixei de ser MEI para virar de vez uma desempregada, e entre mais outras questões a única coisa que realmente queria era que 2015 acabasse logo. Já acabou, 2015? SIM, acabou!

Eu não sei bem o que esperar de 2016, são muitas incertezas. Porém tenho lido muitos textos onde as pessoas comentam: “nada vai mudar”, “só vai piorar” e entre outras coisas. O que gostaria de deixar é que tudo pode mudar se você quiser, tudo é uma questão de escolha. Claro que conseguir um emprego, por exemplo, não depende só da minha boa vontade, mas eu posso pelo menos fazer minha parte. E como sempre falo com meu namorado: “Tudo o que vem fácil, vai fácil. Se está difícil conseguir algo é porque vale a pena lutar”. Que nesse novo ano você possa conquistar tudo aquilo que sempre sonhou. Que você seja aquilo que sempre quis ser. Que você tenha o que sempre quis ter. Que você mude, inspire, transforme. Não é o ano que muda, mas é você e as coisas ao seu redor! Que venha um ano muito bom para todos!

escrito com amor e carinho por

04 dez 2015 DesignFreelancerPessoal

Trabalhar fora x Trabalhar em casa


Um tempo era necessário para que eu pudesse resolver grandes problemas da minha vida que aconteceram em 2015. Mas quem não tem problemas, não é mesmo? No meio da correria, acabei fechando grandes trabalhos e fazendo até uma entrevista em uma empresa enorme e tudo isso me fez ficar muito em dúvida sobre meu futuro profissional: continuar trabalhando em casa ou procurar um emprego numa empresa? Eu fiz um post explicando 10 lições que aprendi sendo freelancer que recomendo a leitura caso você não tenha lido ou precise lembrar. Essa dúvida de futuro profissional me fez fazer essa lista de prós e contras de ambos que quero compartilhar com vocês:

1. Horário fixo x Qualidade de Vida
Como já expliquei no post anterior, quando virei freelancer percebi que minha qualidade de vida mudou bastante. Eu posso sair a qualquer dia da semana, posso trabalhar em casa ou em uma cafeteria, posso trabalhar de manhã, de tarde ou de noite dependendo do meu humor, entre outras questões que percebi que tenho uma qualidade de vida bem melhor. Porém passar o mês tentando arrumar freelas e preocupada em como pagar as contas mexe com minha gastrite! Sem contar que se em uma empresa o horário é geralmente das 9h às 18h e depois partiu ir pra casa ver Netflix, trabalhando em casa tem muitos dias que trabalho desde a hora que acordo até a hora que vou dormir, tipo das 9h às 00h!! Ou seja, apesar de poder sair, passear e tirar alguns dias de folga, nos outros dias eu trabalho o dobro, o triplo do que trabalharia em uma empresa fora de casa. Será que vale à pena? Meu corpo anda super cansado e engordei pra caramba, não tenho horário fixo para nada e isso pode ser bom em algumas coisas, mas péssimo em outras.

2. Vida Social x Vida Solitária
Algo que percebi é que ao trabalhar como freelancer sozinha na minha casa, com toda a minha família trabalhando e eu muitas vezes tendo que fazer horários loucos até 00h, minha vida social despencou bastante. Mal tenho tempo para ficar com minha família, saio com meu namorado sempre cansada e com sono, vejo meus amigos uma vez por semana e olhe lá, acaba gerando um cansaço meio desnecessário. Quando você trabalha fora de casa também fica cansado, mas consegue sair depois do expediente, fazer um happy hour e com certeza  ter amizades na empresa.

3. Dinheiro fixo x Dinheiro pingado
Eu confesso que é uma das questões mais tensas de ser freelancer. Você nunca sabe o quanto vai ganhar no fim do mês! Eu possuo freelas fixos e mesmo assim é complicado, o cliente não paga, esquece, desiste, diminui a quantidade e paga um valor menor, é bem sofrido. É difícil fazer planos como casar, comprar um apartamento e até mesmo um celular novo (algo que comprei e me arrependi por conta dos freelas serem cada mês de uma forma). Trabalhar fora você sabe que independente dos problemas, todo mês você recebe seu dinheiro e pode planejar melhor.

4. Erros na empresa x Erros como freelancer
Finalmente um ponto positivo em ser freelancer! rs Quando eu errava em alguma empresa, mesmo que fosse algo pequeno, levava bronca, muita gente brava, reuniões de sermões, entre outras questões que me deixavam super mal porque poxa, todo mundo erra! As empresas de fora parece que querem robozinhos que não façam nada de errado. Quando erro como freelancer, posso contornar, posso conversar com o cliente e pedir desculpas ou posso dizer que fiz isso intencionalmente, para ele ver se minha ideia era viável…

Continue lendo

escrito com amor e carinho por

28 out 2015 Data EspecialPessoal

Mauricio 80 e a influência na minha vida

ddcc

Hoje o Mauricio de Sousa completa 80 anos. Não sabe quem é ele? O homem por trás da Turma da Mônica. Quem nunca leu Turma da Mônica que atire a primeira pedra, né? A maioria dos brasileiros começaram suas leituras e tinham como apoio os quadrinhos da Mônica e sua turma para melhorar a habilidade. Eu mesma aprendi a ler com os quadrinhos antes mesmo de aprender a ler na escolinha. Se hoje sou uma Designer formada agradeço muito ao seu Mauricio pois amar HQ’s até hoje, amar colorir e ser uma criativa vieram de inspirações da minha infância. Me lembro perfeitamente de estar na casa da minha avó quando chegava minha tia com um estojo cheio de aquarela, giz de cera, lápis de cor, canetinha e claro, um Almancão de Férias da Turma da Mônica. Várias páginas de passatempo, páginas para colorir, era tudo mega divertido! Até hoje acho que o Almanacão supera e muito os livros de colorir que existem atualmente.

Continue lendo

escrito com amor e carinho por

12