04 ago 2016 AplicativoNerdicesTendência

App: Pokémon Go – e a sua privacidade

1
Antes de mais nada: não vai ser um post contando sobre o aplicativo ou dando dicas como costumo fazer. Eu sei que muita gente está fazendo isso e se você quiser é só dar uma pesquisa rápida no google que você encontra váaarias dicas e tutoriais. Esse post na verdade é para gerar um debate mais sério sobre tudo o que anda acontecendo desde que o app foi lançado pelo mundo e agora que foi oficialmente lançado no Brasil.

Mas vou escrever sobre o quê? Bom, na verdade vocês já pararam para pensar, tipo realmente parar por 5min e olhar o que está acontecendo? Eu já, refleti bastante sobre o assunto e mesmo que a maioria não concorde comigo ou me ache louca, acredito que preciso escrever minha opinião e que mesmo se você não concordar, você pelo menos irá pensar melhor no assunto. A pergunta que quero deixar é: pra que serve esse app?.

2
Há alguns meses atrás, quando saiu o trailer eu fiquei boquiaberta. Não poderia imaginar como seria poder caçar Pokémons, algo que eu era apaixonada quando criança e era um grande sonho de vida! Assim como os potterheads sonham com uma carta de Hogwarts, os pokénerds sonham em caçar pokémons e se tornarem grandes treinadores. Depois de muita expectativa o aplicativo foi lançado e virou uma febre mundial! Todo mundo falando do assunto até enjoar e muita gente xingando que que ainda não havia chegado em todos os países. Afinal, seria justo alguns terem muito enquanto outros nem poderiam caçar um ainda? No Brasil pior ainda, alguns hue hue brs conseguiram até hackear a conta do twitter do desenvolvedor do jogo e twittar umas loucuras para chamar a atenção.

3
E então comecei a ler muitos artigos falando bem e falando mal e a observar relatos para refletir melhor. Qual seria o limite para usar esse aplicativo? Durante o parto, no casamento, no velório, no show do seu artista favorito? Será que realmente vale à pena perdermos grandes momentos porque precisamos caçar um mísero pokémon? Que diferença irá fazer na sua vida ter 1 ou ter 250 (que é o máximo até agora)? Comecei a ver fotos de lugares antes vazios lotados de gente com celulares na mão e olhos na tela. Os limites pararam de existir e as pessoas estão sendo assaltadas, sofrendo acidentes de carros e acidentes nas ruas, brigas, faltando ao trabalho, correndo sem parar e tudo isso vai valer o que no final?

4
Eu pensei MUITO antes de baixar o aplicativo, mas queria ver para dar uma opinião melhor. Realmente é um jogo bom e viciante, mas também é um jogo preocupante. Desde o começo do meu expediente hoje as pessoas não estão trabalhando direito, elas estão vidradas nos seu celulares, caçando pokémons. E pelos relatos está sendo assim em todos os lugares, além de já terem inúmeros casos de assaltos. Não quero nem entrar no mérito de que você andando com seu serviço de localização pra cima e pra baixo podem utilizar para várias coisas que talvez você não goste. Será que vale à pena sua segurança e sua privacidade em troca de uns pokémons? O que será que o futuro nos aguarda? Basta colocar aplicativos que queremos muito que o governo vai conseguir muitas informações de forma fácil e rápida? Não sei, você que me diz!

escrito com amor e carinho por

Comente via Facebook

Deixe seu comentário

8 Comentários

  • Hellen
    15 ago 2016

    Sinceramente, tirando a Realidade Aumentada, nada é novidade no Pokémon Go.
    Pessoas sem noção existem desde sempre, todas as pessoas que conheço foram assaltadas quando nem estavam usando celular, etc.
    E ano passado vi que o Google gravava os passos do meu namorado sem ele nem se dar conta.
    Eu não sei como é aonde você mora, mas aqui está completamente normal, todos que vejo com a cara enfiada no celular estão no WhatsApp e Facebook.
    Além de que é a onda do momento e logo logo muita gente nem vai ligar mais XD
    Beijos ;*

    • Mayara Anjos
      15 ago 2016

      Exatamente, Ellen! Acho que as pessoas exageraram (e muito)!

  • Nicas
    14 ago 2016

    Eu pensei um pouco nisso também, mas acho que é mais uma questão de escolhas: a maioria das pessoas que vejo reclamando do Pokemon, passa o dia com a cara enfiada no Facebook e no Whatsapp. O jogo pelo menos tem feito muita gente sair de casa e já vi completos estranhos conversando no ônibus sobre os melhores lugares pra jogar (um me deu várias dicas). E quanto a questão de localização, acho que eles vão usar do mesmo jeuito que o facebook usa todas as nossas postagens (e ele usa parte da localização também). Então acho que dá pra relaxar sim e pegar uns Dragonite (tem no MASP).

    • Mayara Anjos
      14 ago 2016

      Bom saber que tem um Dragonite no MASP, Nicas! Eu já peguei 9 Pikachus na Faria Lima, fica a dica.

  • Thay
    09 ago 2016

    Acho que para tudo nessa vida tem que ter equilíbrio. Enquanto diversão saudável e descompromissada não vejo problemas em jogar, só temos que ficar atentos na questão do vício e do uso desregrado. Caçar pokémon na sala de parte e no velório eu achei um absurdo completo, haha.

    • Mayara Anjos
      09 ago 2016

      Realmente, mas assim como tudo na vida em exagero vira um problema, Pokémon também pode ser um vício. Mas as pessoas parece que pegaram ele para dizer que é viciante e mimimi, sendo que eu acho que é mais falta de noção das pessoas mesmo e não do jogo! 😉

  • Bruna Lima
    05 ago 2016

    Oi Mayara,
    Eu moro em Orlando e aqui saiu um pouco antes, então como tava um alarde absurdo, eu baixei (nunca adorei Pokemon, mas como era um joguinho, decidi dar uma chance).
    Peguei meu primeiro Pokemon, usei aqui no condomínio um pouquinho, mas quando tava na rua mesmo, acabava esquecendo de abrir o app. Eis que um dia desses eu vi um texto sobre os termos do app e como os nossos dados podem ser usados e por quem. Isso pode ser uma viagem absurda, mas pode ser verdade e me deixou encafifada.
    Se você também quiser ler, o link é esse aqui: https://www.facebook.com/Matheusmguide/posts/10153603702981123?pnref=story TENSO!

    Beijos,
    Bru

    • Mayara Anjos
      08 ago 2016

      Oi Bru, realmente os termos são terríveis, mas já foi comprovado que praticamente TODOS os aplicativos da atualidade possuem termos parecidos e o pior de todos é o do Facebook, que ninguém fala, mas é o mais invasivo! =O