27 jun 2016 CríticaDesabafo

A culpa é de quem?

Imagem: Tumblr

Imagem: Tumblr

Eu ando fazendo posts meio polêmicos, eu sei. Mas acontece que não consigo ficar apática com certas situações que andam acontecendo no dia-a-dia. Eu não sei bem se é porque cresci e comecei a acompanhar mais as notícias ou se os anos passam e o mundo só piora, mas o que eu sei é que em toda a minha vida essa está sendo a época onde eu estou ficando mais revoltada com a falta de bom senso da humanidade. Eu tentei deixar passar o máximo que eu pude sobre o assunto, mas vamos combinar, somente nesse semestre três animais já foram cruelmente abatidos para proteger o ser humano, o coitadinho do mundo. Eu escrevo meio revoltada mesmo, porque estou cansada de ler e ouvir que tudo é uma tragédia, que nada poderia ter sido feito. Tragédias acontecem, mas em grande parte a culpa é da humanidade sim e o “acaso” que muitos insistem em culpar não pode ser sempre considerado, afinal se está acontecendo constantemente não é mais uma tragédia e sim um problema a ser resolvido. As histórias mais recentes mostram o que gostaria de debater: um leão dilascerando uma criança que colocou o braço na jaula, um gorila que foi morto para proteger uma criança que caiu na jaula, uma onça que “participou” do carregamento da tocha olímpica e foi abatida por apresentar ameaça aos participantes, entre outras notícias constantes que andam acontecendo.

Em um zoológico dos Estados Unidos um menino pequeno caiu dentro do “habitat” dos gorilas, causando muita confusão. Eu entendo o pânico das pessoas, tentando tirar o menino de lá e assustadas que um gorila enorme estava com ele. Mas acontece que infelizmente em vez de ajudar, as pessoas só pioraram a situação. Gritando e se desesperando, o gorila que não estava fazendo nada começou a se assustar e tentar proteger o menino. O resultado foi sim uma tragédia: o gorila sempre que escutava a gritaria arrastava o menino pelo córrego tentando afastar ele dessa confusão. O final todo mundo sabe, atiraram no gorila, matando ele e salvando o menino. Tudo bem, em uma situação de risco eu até entendo que antes o animal do que seu filho, mas vamos por partes: zoológicos já são uma tragédia por si só, com ambientes despreparados, mal feitos e sem segurança, fazendo com que pessoas possam cair no habitat e funcionários despreparados só pioram a situação…

Se você é a favor de zóologicos eu recomendo assistir ao filme “Terráqueos”, um documentário narrado por Joaquim Phoenix que mudou minha percepção sobre os humanos e os animais. Eu acreditava que zoos eram lugares legais para se ter um contato maior com os animais, que eles viviam bem e nós estávamos seguros. Mas os animais sofrem. Imagine que a partir de hoje você tenha uma casa incrível, porém você não pode sair dela. A alimentação vem pronta, e é sempre entregue no mesmo horário, a mesma gororoba. Você vai beber um pouco de água e quando percebe existem diversas pessoas na janela de frente para você, te encarando, fotografando com flash, batendo no vidro. Cada passo que você dá fazem barulho e isso te incomoda muito. Você fica estressado, se sente vigiado o tempo inteiro, fica entediado, vive uma vida sem propósitos, praticamente todo dia igual ao outro. Uma merda, né? Mas é assim que os animais em zoológicos vivem e ninguém falada nada, afinal são animais. Eles não sentem, não são como nós.

Eu já fui em diversos zoos, mas o que mais fiquei chocada foi quando fui para Flórida/EUA. O Animal Kingdom e o Busch Gardens são uma mistura tosca de parques temáticos com zoológico descolado. Apesar de ser tudo incrível aos olhos eu sou prova viva do perigo tanto para as pessoas como para os animais! No começo do Animal Kingdom existia um muro pequeno, batia na minha cintura (tenho 1,60cm), onde diversas pessoas estavam olhando por ele, tirando fotos e crianças se inclinando e tentando subir no muro para ver melhor. O que tinha do outro lado desse murinho? Diversos crocodilos, marca registrada e símbolo animal da Flórida. Agora vamos refletir um pouco, se uma criança inclinada cai naquele muro sem querer e o crocodilo ataca, a culpa é de quem? Eu estava lá, acreditem, era ridiculamente fácil de alguém cair ali. No Busch Gardens, outro parque, que fica em Tampa, cidade próxima de Orlando, existia um “templo dos tigres” que você entrava e um vidro separava você de diversos tigres dentro de uma caverna. Tudo bem, você deve imaginar, o vidro é super seguro. Bom, o que vi foi um dos maiores sustos que já levei na vida: um tigre tinha conseguindo entrar pela tubulação e estava literalmente em cima de mim, na área dos humanos. Se a tubulação caísse, oi, um tigre do meu lado. O “cuidador” dos tigres fez barulho e bateu nos tubos para ele voltar para seu “habitat” e acalmou as pessoas que se assustaram com os rosnados e barulhos do tigre perto da gente. Eu senti o perigo de perto.

Bom, mas para onde estou querendo ir com todo esse texto? Que eu não acredito que seja culpa dos animais por todas essas “tragédias” que acontecem, eles não entendem o que está acontecendo e se enxergam perigo irão se defender! Além deles estarem em constante fome, estresse e prisão disfarçada de casa. Nós invadimos seu extinto tirando eles de seu habitat natural, aprisionando e agora já tendo reprodução assistida de animais que já nascem em cativeiro e mal sobreviveriam se fossem para o ar livre, literalmente um crime contra a natureza. Quanto aos pais e responsáveis por esses problemas, não dá para culpar apenas eles mas dizer que não possuem culpa é errado. A atenção sempre tem que estar no filho e a educação ensina os limites, eu quando era criança jamais chegava perto da jaula, minha mãe não permitia e eu sabia que não podia. Existem pais que educam e crianças birrentas? Sim. Mas não dá para generalizar e dizer que todos os pais são maravilhosos e as crianças que fazem cagadas, afinal, uma criança copia o que os pais ensinam. Se você tem contato com crianças atualmente vai entender muito melhor o que estou querendo dizer. A culpa não é do animal e não é da criança, ambos não entendem nada.

O real problema que vejo é que estamos acostumados a certos absurdos e não percebemos o quanto somos culpados por isso. Será que existiriam tantas tragédias envolvendo animais se não existissem mais zoológicos? Será que crianças instruídas e pais atentos correriam tantos riscos à toa? Eu não sei, honestamente. Mas quero levantar essa questão para debater, porque independente de quem seja a culpa, ela com certeza não é da criança e do animal.

escrito com amor e carinho por

Comente via Facebook

Deixe seu comentário

6 Comentários

  • Bárbara Nassar
    05 jul 2016

    Nossa, fiquei super mal lendo, porque tem pessoas que são super ruins. Fico muito em choque como as pessoas usam os animais para puro entretenimento. Tipo, confesso que já fui ver a Shamu na Disney, amava zoológico e assim vai. Mas agora sou totalmente contra tudo isso, a gente se torna maduro e vê o absurdo que é tudo isso. Um animal passar a vida toda em uma gaiola, como assim?

    Beijos, Love is Colorful

    • Mayara Anjos
      22 jul 2016

      Sim, eu também assisti a Shamu e depois do documentário Blackfish eu fiquei tão horrorizada que não acredito que fui lá…

  • Chell
    04 jul 2016

    É foda. Eu também fico triste vendo animais humanos achando que são superiores e matando bichos. Mas tem o lado de animais que são colocados em cativeiro pra se recuperarem de traumas, outros para proteção pois no ambiente são caçados e correm risco de desaparecer, tem dois lados, ai que fica difícil ser contra todos.

    • Mayara Anjos
      22 jul 2016

      Eu super sou a favor de animais viverem em santuários e espaços somente deles, mas um espaço onde todos ficam te olhando eu já acho demais…

  • carla
    29 jun 2016

    Concordo com seu ponto de vista. Infelizmente os seres humanos não tem limites e a falta de respeito com a natureza é preocupante…além de muito triste.

    • Mayara Anjos
      22 jul 2016

      Eu espero que um dia isso melhore…