07 out 2015 DesignFreelancerPessoal

10 lições que aprendi sendo freelancer

Desneurando
Ano passado, depois de ser demitida de uma empresa que gostaria nunca ter trabalhado por não valorizarem (para variar) minha função de Web Designer, resolvi que iria virar freelancer. TODAS as minhas experiências de estágio à emprego CLT foram traumatizantes: Desvalorização, alta carga de trabalho, você sempre será o culpado, salário muito baixo, falta de plano de carreira e entre diversas outras questões que nem deveriam entrar por aqui. Pensei muito e cheguei à conclusão de que o salário que me matava para acordar 5h da manhã, pegar condução lotada, chegar e estar lotada de trabalho, pressão para terminar tudo pra “ontem”, entre outras coisas, eu poderia ganhar no conforto da minha casa e com muito menos stress. Agora já faz um ano que trabalho oficialmente como freelancer em tempo integral, e quero compartilhar com vocês 10 lições que aprendi sendo freelancer em home-office.

1. A maioria das pessoas acham que você não trabalha ou ganha dinheiro fácil
A realidade é dura para diversos empregos, não são todos que possuem a oportunidade de poder trabalhar no conforto de sua casa. E por isso mesmo as pessoas, principalmente as mais velhas, não entendem que você trabalhar em casa realmente seja TRABALHAR em casa. Muitos acham que você faz uma coisinha aqui e ali e ganha um dinheirinho. Outros acham que você vive às custas dos seus pais e te aconselham a “procurar um emprego de verdade”. Eu trabalho em casa, acordo 10h e ganho mais dinheiro que vocês #AceitaQueDóiMenos rs

2. No começo pode ser difícil ganhar dinheiro
Ser freelancer é você ser rico e pobre ao mesmo tempo. Teve meses que ganhei o triplo do que ganhava em agência e teve meses que não ganhei nada. Isso mesmo, NADA. É necessário ser bom de conta e guardar o dinheiro para caso você passe por algum mês que não consiga fechar nenhum freela. Precisa ser organizado financeiramente e essa é a única questão que eu odeio trabalhar como freelancer, essa falta de estabilidade financeira. Ainda estou progredindo e melhorando para fechar trabalhos mensais.

3. Organização de tempo é fundamental
Não entendia porque a maioria das empresas bloqueavam um monte de sites e não viam com bons olhos mexer no whatsapp. A questão é que essas coisas acabam te distraindo e o que poderia ser feito em uma hora acaba sendo feito em duas, três… Trabalhar em casa significa que ninguém te vigia e por isso mesmo você precisa controlar o seu horário de trabalho, as tarefas do dia, problemas que podem surgir do nada, tempo para descanso também, claro.

4. Sua qualidade de vida aumenta muito
Estar no escritório de seg. a sex., das 9h às 18h, não é algo mais que entra na minha mente. Eu acordo 10h, faço minhas coisas, depois começo a trabalhar. Fico o dia inteiro no whatsapp, escutando música ou vendo vídeos no Youtube ao mesmo tempo que trabalho. Quando sinto que o freela não tá rolando eu paro, assisto algo no Netflix, descanso. Sexta-feira não existe mais trabalho, é o dia que saio com meu namorado e isso não tem preço.

5. Lidar com clientes é chato, mas necessário
A parte chata do trabalho é que você precisa lidar diretamente com o cliente, sem atendimento ou representantes. E isso muitas vezes te esgota, pois além de fazer todo o Design ou Programação, você ainda tem que responder dúvidas, tentar explicar mil vezes para o cliente o mesmo assunto, muitas vezes levar um olé na hora de pagamento e ter que ficar cobrando, outras vezes ele ficar o dia te ligando, mandando e-mails e mensagens te cobrando.

6. Alguns dias você trabalha o dobro, outros você nem trabalha
Como já mencionei de sexta-feira eu não trabalho, tiro o dia para sair com meu namorado. Também poderia escolher qualquer dia, existem dias que não estou bem de saúde e tiro o dia de folga, existem dias que quero sair ou preciso fazer algo fora de casa. Ser freelancer é você fazer o seu horário e escolher seus dias, claro que tem vezes que você trabalha o dobro quando precisa entregar algo, no caso eu geralmente trabalho de segunda à quinta. Mas quando não possuo trabalho como freelancer eu tiro o dia para fazer uma maratona de séries, descansar e relaxar.

7. Seus amigos e parentes vão ser seus primeiros clientes
É batata, você falou que é freelancer já chega um monte de gente querendo fazer cartãozinho, site e afins. Muitos acham que você vai cobrar mais barato, mas seja sincero e cobre o valor merecido. Pois trabalho é trabalho, amizade é amizade. Faça um trabalho bem feito, pois eles podem te indicar para outras pessoas e o boca-a-boca é fundamental para ser freelancer.

8. Procurar trabalho em sites de freelas nunca é demais
Sites como o 99Freelas, Prolancer e afins ou até mesmo grupos de Freelas no Facebook já me ajudaram muito! As pessoas postam aquilo que necessitam e se você for o melhor com certeza fecha negócio. Eu já fechei diversos negócios e posso garantir que é uma fonte de renda a mais que ajuda nas contas do fim do mês.

9. Tenha um portfólio / Faça trabalhos voluntários
Para quem começa pode ser difícil ter um bom portfólio, por falta de oportunidade mesmo. Por isso tente fazer trabalhos por conta própria ou trabalhos voluntários. Existem diversas empresas, ONGS que precisam de ajuda. Eu sou voluntária na minha igreja, sou metodista. Sou vide-líder de comunicação e responsável por toda a parte de Design da minha igreja. Além de ajudá-los, por conta da visibilidade, diversas pessoas dentro e fora da igreja já fecharam trabalho comigo por conta do portfólio.

10. O cliente tem razão… Até certo ponto!
Esse papo de que o cliente sempre tem razão não é nada bom na área de Design. O cliente não possui conhecimento para entender o que pode ser melhor para ele. Por isso tente mostrar seu ponto de vista e argumentar o porque seu trabalho ficaria melhor da sua forma e não 100% da forma que o cliente quer. Caso ele insista muito e você veja que o trabalho vai ficar muito feio, não tenha medo de pular fora. Já fiz isso algumas vezes, no fim a sua reputação está em jogo e não é nada bom ficar fazendo qualquer job porque o cliente quer assim.

escrito com amor e carinho por

Comente via Facebook

Deixe seu comentário

12 Comentários

  • Chell
    16 out 2015

    ADOREII!! =D é realmente isso =D
    O duro é quando vc gerencia mídias sociais… ai a procrastinação tá na tua cara =/

    • mahchiconi
      16 out 2015

      Eu também trabalho como social media de um colégio e sim, é bem pesado mesmo! T_T

  • Clara Vasques
    15 out 2015

    Como freela eu tenho alguns bicos de vez em quando, por isso não tenho muito do que reclamar. Mas meu estágio é home office e nossa…. É um ó hahahaha. Ninguém respeita o meu trabalho, acham que só por eu estar em casa estou livre e posso fazer qualquer coisa, fora que, por incrível que pareça, eu gosto de sair de casa para trabalhar. Jurooo!! Ficar trancada em casa me deixa maluca, gosto dessa divisão “vida pessoal” e “vida profissional” sabe? Quero muito no futuro poder viver apenas como freela, é um grande objetivo profissional meu, e se eu conseguir atingi-lo, vou dar um jeito de alugar uma salinha ou qualquer coisa do tipo! Hahahahahaha, Fora a parte de ficar em casa, acho que lidar com clientes também é uma parte bem complicada… Têm clientes que são uns amores, e outros que meu Deus… Só com muita paciência! rs. Adorei o post! É bom para ver quem nem tudo na vida de um freelancer é rosa com purpurina!

    Beijoss

    • mahchiconi
      15 out 2015

      Eu entendo, precisa ter uma super disciplina pra conseguir separar o pessoal do profissional, mas como eu vivo praticamente sozinha, eu consigo me vira haha

  • Su
    11 out 2015

    Acho demais o trabalho de freela, tenho super invejinha, hahhaha É um sonho poder montar o horário de trabalho que fica melhor pra você e tal… O foda é a instabilidade financeira, mas acho que a liberdade compensa! 🙂

    • mahchiconi
      11 out 2015

      Depois que você consegue trabalhos fixos, a instabilidade financeira vai diminuindo. Mas a qualidade de vida compensa em qualquer etapa.

  • Mih Farbo
    11 out 2015

    Um dia realizo esse sonho
    Ótimas dicas, Beijoo

    • mahchiconi
      11 out 2015

      Mih, eu lembro de você!! Muito legal poder rever blogueiros da minha época rs

  • Yuu
    10 out 2015

    Adorei o post! Queria muito investir no meu trabalho como revisora/tradutora freelance, mas a verdade é que eu tenho receio da instabilidade de trabalhar por conta própria. Meu trabalho é bem flexível, só não gosto de ter que me colocar à disposição de horário comercial (um ódio: acordar cedo). Fiz um freela uma vez e adorei a experiência. Não abandono a ideia de montar um home office e fazer meus próprios horários. Seria um sonho.

    Beijinhos. :*

    • mahchiconi
      10 out 2015

      Existem sites e grupos que vivem precisando, quem sabe você procurando enquanto trabalha um dia encontra um freela fixo e pode largar o emprego e viver só do freela. Boa sorte!

  • adorei Mayara! 🙂 nunca trabalhei como freela, só fiz freelas, saca? hahahaha mas eu queria. quem sabe né?

    Beijinhos
    n. // http://www.fashionjacket.com.br

    • mahchiconi
      09 out 2015

      Entendi sim! No começo eu fazia pequenos freelas para começar na área! 😉